3. As conexões da RSE no interior da empresa

Show abstract

3.1. A cultura corporativa como pano de fundo para a focalização em RSE

A cultura corporativa abarca o conjunto dos valores, das ideias principais e da missão sustentados pela empresa. A bibliografia técnica identifica três vertentes principais que norteiam a moderna cultura corporativa: os objectivos de negócio, a satisfação dos colaboradores e o foco no cliente. Através destes três pilares, a cultura corporativa pode dotar a empresa de um carácter único e ajudá-la a afirmar-se de um modo sustentável no mercado. Uma cultura corporativa assente em valores representa ainda uma estrutura sólida na orientação estratégica da Responsabilidade Social Empresarial (RSE). Assim que a RSE se torna parte integrante da cultura corporativa da empresa, a identificação dos colaboradores com a estratégia de RSE é feita quase naturalmente. Por sua vez, os novos impulsos gerados pela estratégia de RSE dão um cunho mais prospectivo a esta cultura corporativa.

Show abstract

3.2. A cadeia de valor global

A cadeia de valor representa o percurso de um produto ou serviço, começando pela recolha de matérias-primas em bruto e acabando na venda dos produtos. Devido ao mercado global, a cadeia de valor das empresas percorre vários países pelo mundo fora. No que respeita à questão da Responsabilidade Social Empresarial (RSE), isto dificulta a obtenção de informação relativa ao cumprimento de requisitos mínimos de protecção do meio ambiente e das condições de trabalho das pessoas quanto aos fornecedores envolvidos. De forma muito sintética, a cadeia de valor de um produto pode ser definida no seguinte esquema: Recolha das matérias-primas > Transporte > Produção > Distribuição > Retalho > Venda Final.

Show abstract

3.3. As relações entre stakeholders na estratégia de RSE

Os stakeholders (grupos de interesse) de uma empresa incluem as pessoas, grupos ou organizações directamente afectados pela sua actividade de negócio. As relações entre stakeholders são consideradas recíprocas se estes grupos de interesse influenciarem também eles a empresa. A Responsabilidade Social Empresarial (RSE) exige que as empresas estejam a par das necessidades e exigências dos seus stakeholders, e que mantenham com estes um diálogo regular.

Show abstract

3.4. Conformidade entre o desenvolvimento de recursos humanos e os requisitos de RSE

O desenvolvimento de recursos humanos visa preparar os colaboradores de forma regular, metódica e específica para as exigências actuais e futuras da empresa. Apesar do capital humano não fazer parte de nenhuma folha de balanço como um activo necessário para a subsistência da empresa, os indicadores de produtividade empresarial, fidelização e satisfação de colaboradores permitem quantificar resultados ao nível do desenvolvimento de recursos humanos. Assim, a Responsabilidade Social Empresarial (RSE) e o desenvolvimento de recursos humanos são interdependentes. O desenvolvimento de recursos humanos é, portanto, uma plataforma para o desenvolvimento dos conhecimentos e das competências específicas, necessárias para alicerçar a RSE na cultura de trabalho da empresa.

Show abstract

3.5. Gestão da diversidade e não-discriminação

A gestão da diversidade abarca os princípios de igualdade de tratamento, integração e não-discriminação dentro de uma empresa. Tem como finalidade sublinhar de forma positiva a diversidade individual dos colaboradores e usá-la para gerar valor acrescentado e vantagens competitivas no seio da empresa. Assim, a “Gestão da diversidade” defende que uma força de trabalho heterogénea, obtém melhores resultados que uma equipa de colaboradores homogénea. No que respeita à discriminação no local de trabalho, esta pode levar a que as empresas na UE sejam penalizadas legalmente. Em termos práticos, a gestão da diversidade é considerada como um traço inerente da Responsabilidade Social Empresarial, em especial nas maiores empresas.

Show abstract

3.6. Sistemas de gestão ambiental

Os sistemas de gestão ambiental (SGA) estão a ser cada vez mais usados pelas empresas como instrumento voluntário para uma protecção ambiental preventiva, indo além do mero cumprimento das leis ambientais. Os SGA permitem vigiar regularmente e reduzir o impacto ambiental negativo resultante da actividade empresarial; e graças ao estabelecimento global de normas como a ISO 14001, estes estão a ser usados frequentemente como ponto de partida para o desenvolvimento de actividades, programas e relatórios estratégicos, nos quais se incluem as matérias do âmbito da Responsabilidade Social Empresarial (RSE).

Show abstract

3.7. Motivar os colaboradores para um comportamento ambientalmente consciente

O comportamento ambientalmente consciente dos colaboradores na rotina diária da empresa põe em cheque os aspectos ecológicos de uma estratégia de RSE. Ao mesmo tempo, medidas simples para tornar o local de trabalho mais amigo do ambiente podem representar uma redução de custos significativa para a empresa.

Show abstract

3.8. Governança Corporativa

A Governança Corporativa abrange todos os tópicos relacionados com as estruturas de gestão e de controlo, sendo um termo mais frequente nas empresas cotadas em bolsa. A observância transparente de regras, em cada país, em matéria de Governança Corporativa, tem vindo a ser desenvolvida de forma a reforçar a confiança dos investidores, dos clientes, dos colaboradores e do público nas práticas de gestão e de monitorização das próprias empresas. Desde 2002, todas as empresas alemãs cotadas em bolsa são obrigadas a emitir uma declaração de conformidade com o Código Alemão de Governança Corporativa. Em relação à Responsabilidade Social Empresarial (RSE), a Governança Corporativa é uma parte integrante da estratégia e do relatório de RSE para as empresas com cotação em bolsa.

Show abstract

3.9. Requisitos internacionais de RSE – Pacto Global das Nações Unidas

A Responsabilidade Social Empresarial (RSE) desafia as empresas com actividade internacional a agirem de forma social e ecologicamente responsável ao longo de toda a sua cadeia de valor. Os requisitos mínimos em relação à RSE foram definidos através de um conjunto de convenções internacionais e livros brancos com um foco especial em matérias como os direitos humanos, leis do trabalho, não-discriminação e igualdade de oportunidades. Pacto Global das Nações Unidas serve de guia de orientação para estes requisitos internacionais de RSE.

Show abstract

3.10. Requisitos internacionais de RSE da OCDE e da OIT

A Responsabilidade Social Empresarial (RSE) assenta, a nível mundial, em requisitos definidos pela Organização Mundial do Trabalho (OIT) como normas laborais fundamentais no domínio do emprego, aceites em 175 estados membros. As linhas de orientação para empresas multinacionais, publicados pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) são parte de um conjunto de recomendações gerais visado um enquadramento mais responsável, social e ecologicamente, do processo de globalização.